Combinação de Paradiddles

 

Estudar rudimentos é importante para o desenvolvimento técnico, para trabalhar a resistência e a velocidade, para criar um vocabulário rítmico… mas praticar os rudimentos sem explorá-los de uma forma criativa e sem aplicação traz pouco benefício musical. Neste artigo vou mostrar três exercícios que combinam o Paradiddle Simples e o Flam Paradiddle com suas inversões.

O primeiro exercício começa com o paradiddle simples, acentuado, e a cada compasso a primeira colcheia se desloca para o final, mudando assim a manulação e a posição do acento. Ao final de quatro compassos ocorre uma inversão, com a mão esquerda começando a sequência. O exercício então fecha com oito compassos, com ambas as mãos conduzindo. É um excelente exercício para trabalhar a concentração, manulação, deslocamento de acentos e articulação.

Paradiddle simples com suas inversões
Combinação de paradiddle simples com suas inversões

 

 

 

A ideia agora é retirar os acentos. Pode parecer mais simples executar o exercício todo plano, mas os acentos ajudam como referência, criando uma “melodia”. Praticar o exercício sem a acentuação trabalha ainda mais a concentração e a independência entre as mãos.

Paradiddle simples e inversões sem acento
Paradiddle simples e inversões sem acento

 

 

 

Para fechar, entra o flam paradiddle, que requer ainda mais foco na manulação. Praticar este exercício em um andamento rápido se torna difícil por causa das várias notas que são tocadas em sequência pela mesma mão.

Flam-Paradiddle com inversões
Flam-Paradiddle com inversões

Pratique os exercícios em um andamento lento primeiramente. Um tempo sugerido é de 80 bpms. Pratique relaxado, prestando atenção na articulação das notas e na dinâmica.

Esses três exercícios são muito bons para trabalhar a técnica, mas é importante praticá-los de uma forma musical também. Distribua as notas pela bateria, explore novas possibilidades, seja criativo.